Após reunião com Anvisa para importação da Sputnik V, Rui Costa cita burocracia e diz: ‘Se for necessário iremos ao STF’

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse estar indignado e perplexo com a postura da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) diante da solicitação de gestores estaduais para a importação da vacina Sputnik V nesta terça-feira (6).

De acordo com a agência, pedidos de importação da vacina russa feitos pelos estados estão sendo avaliados e dentro do prazo de sete dias úteis previstos na lei.

Após reunião de governadores com a Anvisa, Rui Costa diz estar indignado — Foto: Reprodução/Redes Sociais

“Infelizmente a Anvisa continua atrapalhando. Depois de três horas de reunião, com muita burocracia, chega a informação de que eles [a Anvisa] vão precisar ir na Rússia para poder saber se autoriza ou não a vacina. O que presenciamos foi burocracia e falta de sensibilidade com a vida humana. Vamos continuar batalhando e, se for necessário, iremos ao STF para conseguir liberação da importação da vacina”, disse.

 

Anúncio foi feito durante o Papo Correria, encontro virtual em que Rui Costa responde a perguntas da população em uma transmissão online.

“O Brasil está um caos completo e a Anvisa ainda protelando a autorização de importação da vacina por parte da Bahia e dos governos do nordeste. É inadmissível. O Brasil não merece isso. Os brasileiros não merecem isso”, disse o governador.

Por meio de nota, a Anvisa informou que os pedidos de importação dos estados já estão sendo avaliados e estão dentro do prazo de sete dias úteis previstos na lei.

A agência ainda ressaltou que o processo de importação excepcional é mais simples do que a avaliação para o uso emergencial ou para o registro de uma vacina.

Neste momento, a Anvisa avalia o pedido de importação da vacina russa feito por doze estados brasileiros com base na lei 14.124/2021. A Lei criou a possibilidade de importação excepcional de vacinas sem registro no Brasil, desde que atendidos critérios mínimos definidos no texto.

Além disso, a lei também impôs a necessidade de que a Anvisa avalie o cumprimento dos critérios da Lei e emita um parecer.

Na transmissão ao vivo, o governador da Bahia disse há uma falsa sensação de segurança no país em relação à pandemia do novo coronavírus.

“Hoje eu vejo um comportamento, na minha opinião, de uma verdadeira seita que tem provocado milhares de mortes no Brasil. [Estão] mentindo para as pessoas, iludindo, criando uma falsa sensação de segurança, defendendo um kit que está desmoralizado no mundo”, comentou.

 

Rui Costa também falou sobre os resultados gerados pelas medidas mais restritivas implantadas na Bahia para conter o avanço da Covid-19.

“Quando iniciamos essas medidas mais duras, tínhamos cerca de 20 mil casos ativos na Bahia e hoje estamos com 13.800. É um número ainda muito alto de contaminação, mas representa uma queda expressiva. Também conseguimos reduzir a lista de espera para leitos clínicos e de UTI, que nos dias mais críticos, chegou a 500 pacientes. No fim da tarde de hoje [terça-feira], o número contabilizado era bem menor, com 120 pessoas aguardando. Esperamos que, na próxima semana, consigamos reduzir esse número ainda mais, para abaixo de 50”, detalhou.

Nas últimas 24 horas, a Bahia registrou 3.581 novos casos de Covid-19 e mais 122 óbitos pela doença. Dos 821.303 casos confirmados desde o início da pandemia, 791.525 são considerados recuperados, 13.860 encontram-se ativos e 15.918 tiveram óbito confirmado. A taxa de letalidade na Bahia é de 1,94%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *