Secretário de Saúde da Bahia anuncia chegada de 5,5 milhões de vacinas nesta semana; 2 milhões de dose chegam na quinta

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, anunciou nesta quarta-feira (7), a chegada de 5,5 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 nesta semana, na Bahia. O gestor revelou que o Ministério da Saúde vai enviar 2 milhões de imunizantes na quinta-feira (8) e mais 3,5 milhões no sábado (10).

[Gestor revelou que o Ministério da Saúde vai enviar 2 milhões de imunizantes na quinta-feira (8) e mais 3,5 milhões no sábado (10)].

“Na verdade, a gente antecipou para permitir a vacinação hoje e amanhã, doses que pertencem ao município de Salvador, que estavam reservadas para serem aplicadas daqui há algumas semanas. Nós antecipamos, o Ministério da Saúde amanhã, quinta-feira, está enviando mais 2 milhões de doses, no sábado mais 3,5 milhões da AstraZeneca, então não vai a ver qualquer tipo de comprometimento para outros municípios, nem mesmo para Salvador”, contou.

A opção pela antecipação do uso dos imunizantes, segundo Fábio Vilas-Boas, teve a intenção de não deixar o processo de vacinação parado, já que os novos lotes de vacinas programados para chegar nesta semana, não impactaria na decisão.

Fábio Vilas-Boas anuncia chegada de 5,5 milhões de vacina nesta semana; 2 milhões de dose chegam na quinta — Foto: Reprodução / TV Bahia

O secretário de Saúde informou que o envio das doses para outras cidades baianas se tornou inviável, porque demandaria uma “logística monstruosa” e a chegada delas nos municípios coincidiria com a entrega de novas cargas feita pelo Ministério da Saúde.

“Quero ressaltar que a intenção nossa foi fazer com que as vacinas possam ser utilizadas mais rapidamente dentro do município de Salvador, já que se fosse distribuir para todos os municípios da Bahia, estaríamos gastando uma logística monstruosa durante 24, 48 horas de distribuição que coincidiria exatamente com a chegada das vacinas amanhã”, disse Fábio Vilas-Boas.

Críticas à Anvisa

Covid-19: Fábio Vilas-Boas critica demora da Anvisa para liberação da vacina russa

O secretário de Saúde Fábio Vilas-Boas criticou a postura da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) diante da solicitação de gestores estaduais para a importação da vacina Sputnik V na terça-feira (6).

“A Anvisa, chega a ser engraçado, nós participamos dessa reunião ontem, 3h30 de reunião. A gente via os diretores, alguns constrangidos, outros se contorcendo para poder dar explicações, lutando alguns legitimamente contra as suas convicções, porque eles não conseguem entender que esse não é o momento de persistir com aquelas tecnicalidades que outrora seriam justificáveis”, disse.

Fábio Vilas-Boas chegou a mencionar que a Anvisa não aceita o que foi determinado em lei que permite que estados e municípios importem e distribuam qualquer vacina contra Covid-19 com registro nas principais agências reguladoras internacionais, caso o órgão não expeça autorização em até 72 horas após o recebimento do pedido.

“Vários governadores se manifestaram e deixaram muito claro que ninguém quer ficar discutindo se a vacina é excelente, se ela é super eficaz, se ela é super segura, esqueçam isso. A lei diz: Se for aprovado fora do Brasil por essas agências, a Anvisa tem que autorizar a importação e a Anvisa não aceita o que está escrito na lei”, disse.

“Ela tentou dar um baile ontem nos governadores e acabou gerando um clima constrangedor de os governadores terem que ir para o embate com a Anvisa, o que motivou uma reunião 9 horas, com a área técnica, para ver se encontra uma solução”, falou o secretário.

Sputnik VImagem de frascos da vacina Sputnik V feita no Brasil divulgada pela Embaixada da Rússia no Brasil — Foto: Reprodução/Facebook/Embaixada da Rússia no Brasil

Imagem de frascos da vacina Sputnik V feita no Brasil divulgada pela Embaixada da Rússia no Brasil — Foto: Reprodução/Facebook/Embaixada da Rússia no Brasil

A vacina russa Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, foi autorizada para uso emergencial pelo governo russo antes mesmo do fim dos estudos clínicos.

A vacina já foi aprovada para uso na Argentina e em outros países da América Latina.

O Ministério da Saúde anunciou um acordo para comprar 10 milhões de doses desta vacina para integrar o Plano Nacional de Imunização.

Além disso, governadores do Consórcio do Nordeste anunciaram a assinatura de compra de mais 37 milhões de doses da vacina russa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *